Miqueias 5:2 – O Filho é eterno?

“Mas tu, Belém Efrata, posto que pequena para estar entre os milhares de Judá, de ti é que me sairá aquele que há de reinar em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade. Mq 5:2”

Os trinitário usam Miqueias 5:2 para dizer que Jesus é eterno não teve começo e nem fim. Mas o texto está falando da origem do Messias, sua procedência ou seja, de onde ele tem seu nascimento ou de onde ele sai ou surge.
Vamos a uma análise do texto do profeta Miqueias.

A palavra hebraica indefinido, aqui é: עולם – oh‧lám.
Esta palavra não significa eternidade e nem eterno, mas sim um período de tempo não especificado,indefinido.
Êxodo 31:16-17 fala de sistemas e observações que com o tempo deixariam de ser observados ou que se tornariam obsoletos.
O lexicógrafo Gesenius atribui-lhe o significado de “tempo oculto, i.e., obscuro e longo, cujo princípio ou fim é incerto ou indefinido”.
(A Hebrew and English Lexicon of the Old Testament [Léxico Hebraico e Inglês do Velho Testamento], traduzido para o inglês por E. Robinson, 1836, p. 746

Assim, aquele que sai de Efrata não é eterno, mas teve origem, e suas origens são remotas demais para ser computada. Desde os tempos primitivos, é um tempo indefinido, indeterminado.
Diferente de Deus que não tem origem, mas a tudo dá origem.

A Septuaginta verte:

ἀπ’ ἀρχῆς ἐξ ἡμερῶν αἰῶνος

ἀπ’ (desde, origem) ἀρχῆς (principio, início) ἐξ (de dentro) ἡμερῶν (dias) αἰῶνος (indefinidos).

Jesus tem origem, foi causado e esta origem ou causa se deu no inicio dos dias (tempo) os quais não podem ser definidos. Este é apenas mais um dos motivos porque ele não pode ter existido sempre com Deus.
Ademais, como já vimos, Jesus não é eterno pois ser eterno não significa apenas ter vida eterna.
Aos cristãos se promete vida eterna, (João 17:2) mas significa isso que os cristãos são eternos?
De forma alguma.

Ser eterno significa antes de mais nada não estar preso ao espaço-tempo, não ter origem.
Deus que é o único eterno, e por Deus me refiro somente ao Pai. O Pai é eterno por ser a eternidade em si. Ele não está preso ou condicionado pelo tempo que é criação sua, o qual, veio a existência na criação do filho. Jesus é o inicio do tempo por ser ele o principio do mover de Deus, sendo portanto, o primeiro a Vir-a-Ser, passando de potência a ato.
No princípio estava o verbo [Ἐν ἀρχῇ ἦν ὁ λόγος]. Ele era este princípio, e por isso ele estava nele.
O filho veio-a-ser, ou seja, houve movimento, ele foi causado pelo Pai. “Eu vivo por causa do Pai” João 6:57 NM
Havendo movimento, iniciou-se o tempo e o espaço, pois Deus que criou o Filho não é espacial e nem temporal.
Como vimos de Miqueias ele teve saídas [έξοδοι êxodo LXX], origem.

Compare as palavras de Miqueias com de João em sua primeira carta (epístola).

1 João 2:14 fala de Jesus como existindo desde o princípio. Ora, Deus não existe desde o principio, pois não existe principio para quem é eterno. Um princípio indica um ponto inicial a partir do qual ocorreu alguma ação.
A ação inicial só poderia ser produzida por um Ser sempre existente e que comunicou algo que desencadeou uma manifestação inicial, sendo esta manifestação ou ação inicial, um principio. Este princípio foi a geração de Jesus, o principio da criação de Deus, o primogênito de toda a criação.
Assim, João poderia falar daquele que é ou existe (ARA) desde o principio. (τὸν ἀπ’ ἀρχῆς) A preposição [ἀπ’] aqui, denota um elemento de separação, ou como já disse; um ponto limitador e divisor. Destaca um começo, geração ou origem de algo.

A versão Tradução Brasileira da SBB verte esta passagem da seguinte forma:

“Eu vos escrevi, pais, porque conheceis aquele que existe desde o princípio”. 1 João 2:14

Apocalipse 3:14 é outro texto que revela que Jesus é o “princípio da criação de Deus”.
Se por “princípio” João desejasse que entendêssemos que Jesus é o “principal” ou “governante” das criações de Deus, então ele teria usado uma palavra mais apropriada, como “ár‧khon”, que significa: governador, comandante, chefe, líder, como a que consta em Miqueias 5:2 [αρχοντα εν τω ισραηλ – governante de Israel].

Mas ele usou “ar‧khé”, que ocorre na maioria das vezes como significando o “início” de algo ou alguma coisa.
A palavra ar‧khé não denota algo eterno ou pré-existente. Quando se usou esta palavra na septuaginta para descrever que no “ar‧khé” Deus criou o Céus e a Terra, não se está querendo dizer que o Céus e a Terra já existiam, antes, queria comunicar que estes vieram a receber existência neste evento, saíram, nasceram.

“εν αρχη εποιησεν ο θεος τον ουρανον και την γην” Gênesis 1:1 LXX

Como podemos estabelecer este assunto? Bem, podemos fazê-lo recorrendo a Miqueias 5:2, onde se diz que o Messias teve “origem” (ar‧khé), e que ela é desde (Ek =Preposição primária denotando origem) tempo indefinido. (ʽoh‧lám). Isso está de acordo com a o fato de que Deus, de Sua eternidade, deu origem ao Filho.
De modo que temos numerosas formas de mostrar provas incontestáveis de que Jesus é a primeira criação produzida por Deus. Leia Provérbios 8:22-31

Jesus assim é a criação de Deus através do qual iniciou-se o princípio, sendo que na sua vinda a existência veio também o inicio do tempo tal como o conhecemos, sendo o princípio da criação de Deus que iniciou todos os movimentos ou deslocamento do espaço tempo.

Anúncios

Um comentário sobre “Miqueias 5:2 – O Filho é eterno?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s