Isaías viu a sua “glória” Isaías 6 e João 12:41

Jesus-Messiah

Alguns  defensores do ensino de que Jesus é o próprio  Deus Todo Poderoso em forma humana, a conhecida doutrina da trindade, tentam usar Isaías 6 e João 12:41 como “evidência da trindade”.  Afirmam que Isaías “viu” Jeová. (Isaias 6:5). Defendem então a tese de que Isaías 6 se aplica a Jeová e que na realidade o profeta tinha visto Jesus em seu trono glorioso, e que portanto, Jesus é identificado como sendo Jeová pelo Apóstolo João. Argumentam que em João 12:41 o Apóstolo João diz que Isaías disse as coisas citadas em João 12:38 e 12:40 “por que ele viu a sua glória e falou a seu  respeito” NEB.

Antes de avaliarmos este assunto detidamente, é bom mencionarmos que embora alguns poucos trinitários defendam que João 12 é claramente todo referente a Jesus e que a glória de Jeová vista por Isaías é realmente a glória de Jesus, os textos de Isaías citados por João não são “tão claros” como uma “referência somente a Jesus”, como pensam.

A afirmação de que João 12 é inteiramente uma referência a Jesus é equivocada. Ao ler com atenção João 12 notará que alguns versos (12:26, 28, 49, 50) se referem ao Pai de Cristo, a saber Jeová Deus. E ao observar Isaías 6 notará que ali se fala de Jeová no início do capítulo, fala-se também de Isaías se oferecendo para uma convocação. Isaías 6 também apresenta não apenas uma pessoa como afirmam os trinitários. Analise com detida atenção tanto João 12 como Isaías 6.

Observemos com atenção o texto de João 12:37-41:

“Mas, embora tivesse realizado tantos sinais na frente deles, não depositavam fé nele,38de modo que se cumpriu a palavra de Isaías, o profeta, que disse: “Jeová, quem depositou fé na coisa ouvida por nós? E quanto ao braço de Jeová, a quem tem sido revelado?39A razão por que não podiam crer é que Isaías disse novamente:40Cegou-lhes os olhos e endureceu-lhes os corações, para que não vissem com os seus olhos, nem compreendessem o pensamento com os seus corações, nem se voltassem e eu os sarasse.”41Isaías disse estas coisas, porque viu a sua glória e falou dele.”

João está citando nas letras que marquei de vermelho acima,a passagem de  Isaías 53:1, uma referência muito conhecida relacionada ao Messias, Jesus Cristo. Aquele que segundo Isaías “foi trazido qual cordeiro ao abate”. No texto escrito por Isaías, Jesus é claramente diferenciado de seu Pai Jeová.  Is. 53:2, 4, 6, 10. Observe que ele é chamado em Isaías 53:11 de “meu servo”. Servo de quem? Obviamente que Jesus é um servo de Jeová e não o próprio Jeová Deus em forma humana.

A segunda citação que marquei com letras alaranjadas se refere ao texto de Isaías 6 onde Jeová é mencionado no início do capítulo como estando em seu domínio celestial “sentado num trono enaltecido e elevado”.

Temos então uma parte do texto citando Jesus, o Messias e redentor da humanidade, ao passo que o outro verso citado embora não fale especificamente de Jeová, está no contexto falando dele. Contudo o contexto imediato de Isaías 6 do verso 8 em diante começa a falar de Cristo, uma vez que Isaías prefigura a Jesus em seu papel de enviado por Jeová e que aceita voluntariamente sua convocação para uma designação a um povo “cego” e “surdo” em sentido espiritual.

João prossegue dizendo que “Isaías disse estas coisas, porque viu a sua glória e falou dele” afirmou o Apóstolo.

A Bíblia NIV de Estudo de 1985, uma versão produzida por trinitários comentando este texto diz:

“Isaías disse estas coisas porque ele viu a glória de Jesus e falou sobre ele”

O comentário prossegue na nota ao pé da página:

“…. O pensamento de glória aqui é complexo. Há a idéia de majestade, e há também a idéia (o que significava muito para João) que a morte de Jesus na cruz e sua posterior ressurreição e exaltação demonstram sua verdadeira glória. Isaías previu a rejeição de Cristo, como demonstram as passagens citadas (Is. 53:1; 6:10). Ele falou do Messias tanto nas palavras sobre os olhos dos cegos e os corações duros, por um lado, e sobre a cura , por outro. Esta é a cruz e esta é aglória, visto que  a cruz e a ressurreição e exaltação retratam tanto o sofrimento ,cura, rejeição, humilhação, triunfo e glória. ”

Evidência de que João ao falar da glória tinha Jesus em mente pode-se ver no contexto de Isaías 53 onde apenas alguns versículos antes, no capítulo 52, que é parte do mesmo trecho  nos Mss e m hebraico, usa-se a palavra “glória” na LXX se referindo a “o meu servo” que obviamente se refere ao Cristo, o Messias. (Ver Isaías 52:13,14 na LXX) De fato há ampla evidência de que os apóstolos usavam a LXX em seus escritos ao fazerem citações do V.T

É digno de nota que a Septuaginta (LXX) emprega os mesmos termos referidos pelo apóstolo no contexto de Isaías 53 pouco antes falando do Messias!

ἰδοὺ συνήσει ὁ παῖς μου καὶ ὑψωθήσεται καὶ δοξασθήσεται σφόδρα

14ὃν τρόπον ἐκστήσονται ἐπὶ σὲ πολλοί οὕτως ἀδοξήσει ἀπὸ ἀνθρώπων τὸ εἶδός σου καὶ ἡ δόξα σου ἀπὸ τῶν ἀνθρώπων

Tradução de Isaías 52:13 , 14 acima na LXX:

“Eis que meu servo agirá com perspicácia. Ele estará num alto posto, e certamente será elevado e muitíssimo glorificado.14Ao ponto que muitos olharam para ele assombrados — tanta foi a desfiguração quanto à sua aparência, mais do que a de qualquer outro homem, e quanto à sua glória, mais do que a dos filhos da humanidade —“

Um outro ponto a considerar sobre Isaías 6

Um dos serafins purificou os lábios de Isaías com uma brasa viva do altar. Daí Deus perguntou: “A quem enviarei, e quem há de ir por nós?” Tendo sido purificado, Isaías qualificou-se para responder ao chamado de Deus. Observamos que os versículos restantes de Isaías capítulo 6 falam sobre a convocação de Isaías para o ministério e, conforme João mostra,  tal convocação foi aplicada profeticamente ao ministério de Jesus Cristo.

Isaías 6 se refere a uma visão profética, que se cumpre em sua plenitude, em Jesus, o qual se colocou à disposição perante Deus de vir até a Terra e trazer a mensagem da parte de toda a sua organização celestial. Nesse sentido é que ocorre a pergunta: “Quem irá por nós?”
João 6:38 diz “porque desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.   ASSIM COMO ISAÍAS se voluntariou e disse “EIS ME AQUI ENVIA-ME” Jesus o fez exatamente o mesmo conforme lemos em Isaías 6.
João 12:49-50
“Porque não falei de meu próprio impulso, mas o próprio Pai que me enviou tem-me dado um mandamento quanto a que dizer e que falar. Sei também que o seu mandamento significa vida eterna. Portanto, as coisas que eu falo, assim como o Pai mas disse, assim [as] falo.

Jesus foi quem se ofereceu voluntariamente e disse “Eis me aqui, envia-me” à convocação feita por Jeová Deus. Estas são as palavras que são mencionadas pouco antes do profeta falar sobre o povo como sendo cegos e surdos espiritualmente. Lemos em Isaías 6:8:

E comecei a ouvir a voz de Jeová, dizendo: “A quem enviarei e quem irá por nós?” E eu passei a dizer: “Eis-me aqui! Envia-me.”9E ele prosseguiu, dizendo: “Vai, e tens de dizer a este povo: ‘Ouvi vez após vez, mas não entendais; e vede vez após vez, mas não obtenhais conhecimento.’10Torna embotado o coração deste povo e torna insensíveis os próprios ouvidos deles, e gruda os próprios olhos deles, para que não vejam com os seus olhos e não ouçam com os seus ouvidos, e para que seu próprio coração não entenda, e para que realmente não recuem e obtenham para si a cura.”

Ao lermos com atenção a citação que o Apóstolo João fez de Isaías capítulo 6, observamos que ele não usou as palavras do profeta aplicadas especificamente a Jeová “sentado num trono enaltecido” e as aplicou a Cristo Jesus, como querem fazer-nos crer os trinitários. Antes, João citou as palavras aplicadas ao Messias em Isaías 53, o “servo” glorificado do contexto imediato (Isaias 52) mencionado ali mesmo como sendo “glorificado”. Dizer que João cita um texto que “fala de Jeová” é forçar de modo enganoso e colocar palavras na boca do apóstolo. Até porque o próprio apóstolo afirmou no final de seus escritos :

 “estes foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e que, por crerdes, tenhais vida por meio do seu nome.” João 20:30

Lembre-se de que Cristo significa UNGIDO ou escolhido. Jeová Deus não é escolhido por ninguém, mas ele dá a unção. Observe também que o contexto imediato referenciado pelo Apóstolo João e que eu destaco acima no texto de Isaías com letras verdes, fazem alusão a Isaías e não a Jeová Deus. Isaías aqui representa a Cristo que foi enviado por Deus. Trinitários não aceitam que Cristo foi enviado por Deus, uma vez que dizem que Jesus é o próprio que o enviou.

Quer dizer do uso da palavra “glória” em Isaías 6:3? 

O uso da palavra “glória”  no livro do profeta Isaías é algo constante em contextos tanto se referindo a homens como ao Messias bem como também se referindo a Jeová. É algo repetitivo e constante no profeta Isaías mesmo referindo-se a humanos .

Exemplos:  Isaías (LXX) 11:3 ;  Isaías (LXX) 40:6 ;  ; Isaías (LXX) 52:14

L.H Brockington logo após falar sobre o gosto que os escritores da LXX tinham pela palavra DOXA e suas formas cognatas  diz:

“A frequência comparativa do uso do substantivo DOXA na LXX e em Isaías [demonstra] que esta palavra não era somente uma favorita no vocabulário do tradutor mas tinha significado considerável para ele…e estava associada direta ou indiretamente com o  trabalho de redenção de Deus entre os homens.”  L.H. Brockington, “The Greek Translator of Isaiah and His Interest in DOXA” Vetus Testamentum 1 (1951), páginas 24, 26.

É interessante que R.E Brown escrevendo sobre  Isaías 6 diz que “uma possível interpretação de João 12:41 é que Isaías olhou para o futuro e viu a vida e glória de Jesus” Raymond E. Brown, The Anchor Bible: The Gospel According to John (i-xii) (Garden City, NY: Doubleday & Company, Inc., 1966), page 487.

Que a glória vista por Isaías e citada por João se referia a glória de Cristo em seu papel de redentor e sua futura ressureição ( veja 12:24) dentre os mortos pode ser visto no próprio texto de João 12:16 onde lemos:

“No princípio, os discípulos não fizeram caso destas coisas, mas, quando Jesus foi glorificado, então se lembraram de que estas coisas estavam escritas a respeito dele e que lhe fizeram estas coisas.”

Adicionalmente lemos no mesmo capítulo verso 23 -25 :

Mas Jesus respondeu-lhes, dizendo: “Chegou a hora para o Filho do homem ser glorificado.24Eu vos digo em toda a verdade: A menos que o grão de trigo caia ao solo e morra, permanece apenas um só [grão]; mas, se morre, então dá muito fruto.25Quem estiver afeiçoado à sua alma, destruí-la-á, mas quem odiar a sua alma neste mundo, protegê-la-á para a vida eterna.”

Algumas interpretações de João 12:41 à luz do que Isaías realmente “viu” e “falou a respeito” tem sido  muitas vezes  imprecisas ou  mesmo enganosas.  No entanto, quando examinado no contexto completo e adequado de citações e de expressão, o pensamento e compreensão de João 12:41 é bastante claro : João construiu sua narrativa em João 12 de tal maneira que ela leva progressivamente à conclusão evidente que a “glória” do Messias, foi  ‘vista’ por Isaías, se cumpriu em Jesus através de sua presença entre os homens,  sua rejeição e eventualmente por sua morte e  ressurreição.

É por isso que Jesus é “glorificado” e “levantado” como vemos nas declarações do apóstolo 12:16, 23, 32-34, 36, 37, 38, e 41. E é por isso que o uso dos mesmo verbos  (doxazō, hora’ō, hypso’ō, and pistue’ō) pelo apóstolo João é usado na LXX em conexão com a glória futura do Messias de Isaías 52:14 encontrados no contexto em 52:10, 13 e 15; 53:1,2.

Observe com atenção os textos abaixo e pondere sobre o entendimento global sem se chocar com estes e chegará a uma conclusão correta sobre este assunto:

João 20:17 diz:

Jesus disse-lhe: Pára de agarrar-te a mim. Porque ainda não ascendi para junto do Pai. Mas, vai aos meus irmãos e dize-lhes: ‘Eu ascendo para junto de meu Pai e vosso Pai, e para MEU DEUS e vosso Deus”.

Atos 3:13 “O Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, o Deus de nossos pais, glorificou a SEU SERVO JESUS, a quem vós entregastes e perante a face de Pilatos negastes, quando este havia resolvido soltá-lo” Obviamente o mesmo “servo” mencionado em Isaías 52:13,14

2 Coríntios 1:3 “Bendito seja o DEUS E PAI de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai de ternas misericórdias e o Deus de todo o consolo”

Lucas 22:42 – “dizendo: ‘Pai, se tu quiseres, remove de mim este cálice. Não obstante, ocorra, não a minha vontade, mas a tua’”. O entendimento correto destas declarações é atropelado pela teologia trinitária.

Isso sem falar nas outras ocasiões em que Jesus orou ao seu Pai .
Mateus 26: 36 diz “Jesus chegou então com eles a um lugar chamado Getsêmani e disse aos discípulos: Sentai-vos aqui enquanto eu vou para lá orar.”

Estaria Deus na terra orando para ele mesmo no céu? Teria necessidade de Deus orar a alguém se ele mesmo é o Todo Poderoso?
Isso mostra que eram pessoas diferentes.

Embora seus discípulos reconhecessem a natureza divina de Jesus (conforme João 1:1 e João 20:28) pois era o filho de Deus, eles não o encaravam como sendo o Deus Todo poderoso Jeová, pai de Jesus, como é evidente  nos diversos textos acima. (Para um entendimento correto da palavra Deus clique aqui)

O que concluímos?  Será que todos estes textos e muitos outros devem se ajustar ao nosso entendimento ou devemos ignorá-los junto com  à vasta maioria de textos que afirma que Jesus e Jeová são diferentes? A Bíblia não pode se contradizer. Confronte a Bíblia e ela se harmonizará.

A doutrina da trindade é forçada e contradiz a palavra de Deus. Observe que certo trinitário afirmou o seguinte:

“Jo 12:41 diz que Isaías viu Jesus em Sua glória no mesmo evento em que Is. 6 diz que Isaías viu Jeová em sua glória e este estava sendo adorado”.

Este comentário ao invés de informar desinforma. Ele omite que João cita Isaías 53 que fala não de Jeová , mas do MESSIAS. Também omite que o “evento” que antecede a citação de João fala não de Jeová , mas de Isaías sendo convocado para ir e pregar. Ninguém diria que Isaías é Jeová certo? Há mais uma pessoa mencionada em Isaías 6! Por que estes trinitários tentam socar goela abaixo dos não ensinados tais embustes teológicos? Simples, Satanás sabe que a maioria da cristandade apóstata não gosta de estudar a palavra de Deus ou quando o fazem é na tentativa de promover suas tradições religiosas invalidando a palavra de Deus. Jesus disse em Marcos 7:13:

“…e assim invalidastes a palavra de Deus+ pela vossa tradição que transmitistes. E fazeis muitas coisas+ semelhantes a esta.”

Quem é perito em fazer isso são os ex adoradores de Jeová, ou que se diziam ser adoradores de Jeová. Porque na verdade nunca foram, pois se fossem servos leais de Jeová teriam permanecido. Mas saíram do nosso meio porque não eram dos nossos. Quando confrontados com tais tentativas de ludíbrios alguns servos de Jeová ficaram confusos e foi neste momento que seu amor a Jeová e sua palavra foi posto a prova. Felizmente a maioria abre sua bíblia e se debruça não para cantar hinos barulhentos iguais a maioria das igrejas evangélicas fazem, mas para estudar e meditar com oração sobre Isaías 6 e João 12. Resultado? A maioria quando expostos a estes textos usados de modo enganoso pelos trinitários,  passam a perceber quão enganosos e sutis muitos trinitáristas são! Mas se a pessoa não tem espiritualidade forte, não pesquisa a palavra de Deus com amor e afinco. E além disso ainda é praticante de algum pecado ou tem algum ressentimento contra alguém na congregação ou dúvidas não solucionadas, acabam caindo vítimas da apostasia. Que triste fim aguarda os que iguais a Satanás chegam a citar a palavra de Deus de modo enganoso e tortuoso  a fim de tentar desviar alguém!

Fonte: Tradução do Novo Mundo Defendida!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s