A regra de Sharp

Em uma tentativa de provar a doutrina da Trindade, Granville Sharp formulou uma regra em 1798. Ela é comumente chamada pelos trinitários de “Regra de Sharp”. Ela diz, basicamente, que quando dois ou mais substantivos no texto original do Novo Testamento Grego são unidos pela palavra “e”, eles se referem à mesma pessoa se o artigo “O/A” vier antes do primeiro substantivo e não antes do segundo ou mais substantivos.

Por exemplo, se lermos “o Rei e _mestre do escravo” no texto Grego, isto sempre significaria, de acordo com Sharp, que apenas uma pessoa está sendo chamado tanto de “rei” e “mestre”. (‘Rei’ e ‘Mestre’ são unidos por um ‘e’, mas apenas ‘Rei’ tem o artigo definido ‘O’).

Sharp inventou esta regra após notar esta estrutura em especial (às vezes chamada de ‘Estrutura de Sharp’) era usada com “Deus” e “Cristo” cinco vezes no Novo Testamento. Se ele pudesse convencer outros que sua “regra” era verdadeira, então eles pensariam que finalmente (após 1400 anos de tradição trinitária) havia prova gramatical absoluta na bíblia de que ‘Deus’ e ‘Jesus’ são a mesma “pessoa”!

Há inúmeras razões do por que a Regra de Sharp, como aplicada às essas “provas”, é inválida. Um importante argumento contra ela é o fato de que até mesmo respeitados trinitários peritos em gramática do Novo Testamento e tradutores rejeitaram-na como uma regra válida – e.g. veja G.B. Winer; J.H. Moulton; C.F.D. Moule; Dr. James Moffatt ( veja Tito 2: 13 e 1° Timóteo 5: 21); e o erudito católico romano Karl Rahner (2° Pedro 1:1).

Por exemplo, examine a seguir como bíblias trinitárias interpretaram essa “Regra de Sharp”:

2° Tessalonicenses 1: 12; Efésios 5: 5KJV, KJIIV, RSV, NRSV, LB, MLB, NIV, NEB, REB, GNB, TEV, NAB (70/91).;2° Timóteo 4: 1 – Na maioria das bíblias trinitárias.; 1° Timóteo 6: 13 – Todas as bíblias trinitárias.

Essas traduções muito respeitadas, traduzidas por eruditos trinitário peritos no Novo Testamento, claramente desconsideram a “regra” de Sharp nesses (e em outros) textos e fazem referência a duas pessoas!

1° Timóteo 6: 13 é traduzido na maioria das bíblias trinitárias como: “ante (a vista ou presença de) Deus… e ante Cristo Jesus…” Apesar da Regra de Sharp insistir que esse texto deveria ser traduzido de modo a mostrar que ele está falando da mesma pessoa, ele obviamente não está! A maioria dos trinitários peritos em gramática simplesmente não acredita que a Regra de Sharp é uma regra válida! Das muitas provas que gramaticamente invalidam a Regra de Sharp, há pelo menos duas de extrema importância – cada uma é conclusiva por si própria.

  • A construção de preposições (exemplos de frases que contém preposições: ‘de Deus’, ‘no Senhor’, ‘Deus de. ’… etc.) são conhecidas por todos os gramáticos do Novo Testamento, por causar incerteza no uso do artigo. Isto é, se uma locução prepositiva (incluindo genitivos) está unida a uma palavra, aquela palavra pode, algumas vezes, ter o artigo (O) e às vezes não ter – sem que se altere o significado! (Veja T. Robertson, pp. 780,791,791; C.F.D. Moule, p.117; J.H. Moulton, pp.175, 179-180, et al).

Isto significa que os escritores do Novo Testamento escreveram às vezes, por exemplo, “O Deus de mim” (com artigo) e “_Deus de mim” (sem o artigo) querendo dizer à mesma coisa. O artigo definido (O) é ambíguo nesses casos.

Portanto qualquer regra gramatical que dependa da presença ou ausência do artigo no Novo Testamento grego, não deve usar esses textos, onde uma construção preposicionada está unida a um substantivo, como exemplo, se queremos usá-los de forma honesta e apropriada.

Mas se examinarmos as “provas” trinitárias acima, veremos que todas elas usam construções preposicionadas: ‘de nós’ em (a) Tito 2: 13 e (b) 2° Pedro 1: 1 é um genitivo “preposicionado”, até mesmo “Salvador” é um genitivo em ambos os textos e literalmente significa “do Salvador”, “Senhor” em (c) 2° Tessalonicenses 1: 12 é um genitivo e literalmente significa “do Senhor” (como traduzido na Modern Language Bible, Living Bible, Good News Bible, Douay Version, New American Bible [ed.1970], e Barclay’s Daily Study Bible). “Cristo em (d) 1° Timóteo 5: 21 é um genitivo e literalmente significa “do Cristo” (como na Good News Bible e [TEV], New American Standard Bible, Modern Language Bible e New Revised Standard Version) e “Deus” em (e) Efésios 5: 5 é um genitivo e literalmente significa “de Deus” (como na KJV, RSV, NRSV, LB, NEB, REB, MLB, NAB[1970 e 1991], Douay Version, NIV, GNB e Tradução Phillips)

 

Portanto todas as “provas” de Sharp são inválidas e isso analisando as construções preposicionadas apenas!

  • Eruditos do Novo Testamento, incluindo célebres trinitárias especialistas em gramática do Novo Testamento, assinalam que o uso de nomes próprios (João, Moisés, Jesus, etc.) também causa certa incerteza quanto ao uso do artigo no Novo Testamento grego. (T. Robertson, Gramática, p.791, e Figuras de Linguagem, p.46, Vol.4, C.D.F. Moule, p.115, J.H. Moulton [Turner], Vol.3, pp. 165-167, et al) Então, não apenas os escritores do Novo Testamento às vezes usavam o artigo e às vezes não o usavam, querendo dizer exatamente a mesma coisa ou usando o mesmo nome próprio ( ‘O Tiago’ e ‘Tiago’), mas mesmo quando um nome próprio é usado como oposto, ele também causa o uso irregular do artigo com os outros substantivos associados – Robertson, pp. 760,791.

Por exemplo, quando “Jesus” e “Cristo” estão em oposição um ao outro (‘Jesus Cristo e ‘Cristo Jesus’), eles quase em todas às vezes (96% das vezes) estão escritos sem o artigo definido nos escritos de Paulo, independentemente da ‘Regra de Sharp’ ou de qualquer outra consideração gramatical ou sintática!

Se examinarmos as primeiras quatro “provas” acima, vemos que o nome próprio ‘Jesus’ é usado como um oposto a palavra em questão em cada caso! Em outras palavras, ‘Cristo Jesus’ é o oposto para ‘Salvador’ em Tito 2: 13. Isto significa que ‘Salvador’ terá às vezes o artigo ‘O’ e às vezes não (sem que isso mude o significado). ‘Jesus Cristo’ é o oposto de ‘Salvador’ em 2° Pedro 1: 1, e o uso do artigo (ou o seu não uso) com ‘Salvador’ no Novo Testamento grego, nessas circunstâncias é virtualmente sem importância. “Jesus Cristo” está em oposição “Senhor” em 2° Tessalonicenses 1: 12. E “Jesus” está em oposição “Cristo” em 1° Timóteo 5: 21. Esses exemplos, portanto, são completamente inválidos como evidência de que Jesus seja Deus, mesmo que a “Regra de Sharp” tivesse alguma validade! E o 5° exemplo, Efésios 5:5 é incrivelmente pobre de contexto. Até mesmo o famoso erudito trinitário A.T. Robertson teve que admitir que a ‘evidência’ de Efésios 5:5 é duvidosa – Figuras de Linguagem, Vol. 14, pp. 46 e 543. Ninguém em sã consciência poderia apenas esse texto como verdadeira evidência da divindade de Jesus!

Alguns exemplos preposicionados que encontramos no Novo Testamento:

O Deus de Abraão e _ Deus de Isaque e _ Deus de Jacó” – Lucas 20: 37.

“O Deus de Abraão e o Deus de Isaque e o Deus de Jacó”Mateus 22: 32.

“Tiago, _ escravo de Deus e_ Senhor Jesus Cristo”Tiago 1: 1.

“Sob o comando de _ Deus nosso Salvador e _ Cristo Jesus”1° Timóteo 1: 1.

“Eu sou a raiz e a descendência de Davi”Apocalipse 22: 16.

Alguns exemplos com nomes próprios encontrados no Novo Testamento:

“Tendo visto _ Pedro e _ João” (sem artigo) – Atos 3: 3.

“Segurava… o Pedro e o João” (dois artigos) – Atos 3: 11.

“Observava a franqueza de Pedro e _ João” (Sharp) – Atos 4: 13.

“Mas (o) Pedro e _ João” (Sharp) – Atos 4: 19.

Então vemos o escritor bíblico (Lucas) que é reconhecidamente o mais bem informado do Novo Testamento, mostrando a ambigüidade do uso do artigo com nomes próprios. Se não excluirmos nomes próprios como exemplo válido, teremos que concordar que ou Lucas acreditava que Pedro e João eram a mesma pessoa ou que ele não fazia idéia da existência da Regra de Sharp (ou outra equivalente)!

*****************************************

Então, apesar de podermos encontrar construções como “o Rei e Mestre do escravo” onde o primeiro substantivo (com o artigo definido ‘O’) é a mesma pessoa do segundo substantivo (sem o artigo definido), não há justificativa gramatical para acreditarmos que sempre será assim. Tais construções como “o garoto e garota” e “o Presidente e Vice Presidente”, que se referem a mais de um indivíduo, está gramaticalmente correto tanto na língua inglesa quanto grego do Novo Testamento.

 

Fonte: http://defendingjehovahswitnesses.blogspot.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s