Será que é correto cobrar por serviços religiosos?

Será que a Bíblia aprova cobrar por serviços religiosos?

Quando Jesus Cristo esteve na Terra, pessoas aproveitavam ocasiões religiosas para lucrar, especialmente durante a Páscoa. Será que Jesus via isso com bons olhos? Não! A Bíblia até mesmo conta que ele “derramou as moedas dos cambistas e derrubou as suas mesas”. Ele disse: “Parai de fazer da casa de meu Pai uma casa de comércio!” — João 2:14-16.

 

Nos dias do profeta Miqueias, a Bíblia relata que os líderes religiosos de Israel ‘detestavam a justiça’ e os sacerdotes ‘instruíam somente por um preço’. Ao mesmo tempo, porém, alegavam ter o apoio divino, dizendo: “Não está Jeová no nosso meio?” (Miqueias 3:9, 11) Mas Jeová Deus não aprovava essa atitude. Na realidade, ele detestava a conduta deles e deixou isso bem claro por meio de seu profeta.

 

Hoje, muitos líderes religiosos usam as mesmas táticas gananciosas, transformando seus lugares de adoração em ‘casas de comércio’. De fato, as organizações religiosas como um todo praticam comércio, geralmente lucrando bastante com a venda de imagens e de muitos outros produtos, como por exemplo, livros usando a imagem de Jesus Cristo — 1 João 5:21.

 

Quando comissionou seus apóstolos a pregar as boas novas, curar doentes e até mesmo ressuscitar mortos, Jesus disse: “De graça recebestes, de graça dai.” (Mateus 10:7, 8) De fato, os seguidores de Jesus não deviam cobrar por seus serviços. Além disso, o próprio Jesus deu o exemplo por servir aos outros sem cobrar nada.

Seguindo o modelo deixado por Jesus, o apóstolo Paulo realizou o ministério dele “sem custo”. (1 Coríntios 9:18) Quando precisava de dinheiro, ele trabalhava fabricando tendas. (Atos 18:1-3) Assim, ele podia dizer a respeito de si mesmo e de seus colegas missionários: “Não somos vendedores ambulantes da palavra de Deus, assim como muitos homens são.” (2 Coríntios 2:17) Mas que dizer de levantar fundos para o uso da congregação, talvez para comprar ou alugar um local de adoração?

 

Os verdadeiros Cristãos aplicam o princípio: “Faça cada um conforme tem resolvido no seu coração, não de modo ressentido, nem sob compulsão, pois Deus ama o dador animado.” (2 Coríntios 9:7) É por isso que as Testemunhas de Jeová não cobram por suas publicações nem para realizar serviços religiosos como batismos, casamentos e funerais. Também não cobram dízimo nem fazem coletas. Quando alguém quer contribuir para sua obra de pregação internacional, basta colocar donativos em caixas discretamente posicionadas em seus locais de adoração.

Em todo o mundo, as Testemunhas de Jeová financiam seus Salões do Reino, Salões de Assembleias, filiais, gráficas e programas de ajuda humanitária por meio de donativos voluntários. Algumas pessoas, como a viúva pobre elogiada por Jesus, podem dar apenas um pouco. (Lucas 21:2) Outras podem dar muito. Seja qual for o caso, os que seguem os princípios da Bíblia e contribuem segundo suas circunstâncias são abençoados por Deus e sentem profunda satisfação e verdadeira felicidade — Atos 20:35; 2 Coríntios 8:12

Grupo: Defensor Jw 

Anúncios

Um comentário sobre “Será que é correto cobrar por serviços religiosos?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s