ENCONTRE JÓIAS ESPIRITUAIS – DESTAQUES DE ISAÍAS 11-16 DA SEMANA DE  19 A 25 DEZEMBRO DE 2016

apostila

Is 11:1, 10 — Como Jesus pode ser ao mesmo tempo “a raiz de Jessé” e o ramo novo que sai “do toco de Jessé”? (w06 1/12 pág. 9 par. 6)

 Jesus veio “do toco de Jessé” em sentido carnal. Ele era descendente de Jessé por meio de Davi, filho de Jessé. (Mateus 1:1-6; Lucas 3:23-32) No entanto, receber Jesus poder régio modificou a relação dele com seus antepassados. Por ter recebido poder e autoridade para conceder vida eterna aos humanos obedientes na Terra, Jesus se torna o “Pai Eterno” deles. (Isaías 9:6) Dessa forma, ele é também “a raiz” de seus antepassados, incluindo Jessé.

Is 13:17 — Em que sentido os medos consideravam a prata como nada e não se agradavam do ouro? (w06 1/12 pág. 10 par. 10)

 Os medos e os persas davam mais valor à glória de uma conquista do que ao despojo de guerra. Foi assim no caso de Ciro, que deu aos exilados que retornaram para Jerusalém os utensílios de ouro e de prata que Nabucodonosor tinha saqueado do templo de Jeová.

O que a leitura da semana me ensinou sobre Jeová?

ISAÍAS 11:3a. O exemplo e os ensinamentos de Jesus mostram que temer a Jeová traz alegria.

***************************************************************

ISAÍAS 14:1, 2 — Como o povo de Jeová se tornou “os captores dos que os mantinham cativos” e ‘teve em sujeição aqueles que os compeliam a trabalhar’? Isso se cumpriu no caso de pessoas como Daniel, que ocupou um alto posto em Babilônia sob o domínio dos medos e dos persas; Ester, que se tornou uma rainha persa; e Mordecai, que foi designado como primeiro-ministro do Império Persa.

***************************************************************

ISAÍAS 13:20-22 e ISAÍAS 14:22,23 mostra que a palavra profética de Jeová sempre se cumpre, como aconteceu no caso de Babilônia.

***************************************************************

Por ocasião de seu batismo, Jesus se tornou o Messias — o Ungido de Jeová e o renovo ou a raiz de Jessé — para governar as nações. É nele que devemos depositar a nossa esperança, em cumprimento de ISAÍAS 11:1,10.

Que pontos da leitura posso usar no serviço de campo?

“Maravilhoso Conselheiro”. O sacerdote era responsável pela instrução do povo na lei e na vontade de Deus. (Mal 2:7) Também, como o Messias régio, o predito ‘renovo saído do toco de Jessé [pai de Davi]’, Jesus precisava manifestar o ‘espírito de Jeová em sabedoria, conselho, potência, conhecimento, junto com o temor de Jeová’. Desta forma, as pessoas tementes a Deus ‘deleitar-se-iam’ por meio dele. A incomparável sabedoria encontrada nos ensinos de Jesus, que era “maior do que Salomão” (Mt 12:42), é uma das mais poderosas evidências de que ele era deveras o Filho de Deus, e que os relatos evangélicos jamais podiam ser mero produto da mente ou da imaginação de homens imperfeitos, isto esta de acordo com ISAÍAS 11:1-3.

***************************************************************

Séculos antes, a Bíblia havia predito que o Messias seria chamado de “Nazareno”. O evangelista Mateus disse que a família de Jesus foi morar em “Nazaré, para que se cumprisse o que fora falado por intermédio dos profetas: ‘Ele será chamado Nazareno’”. (Mateus 2:19-23) Parece que o nome Nazareno está relacionado à palavra hebraica traduzida “rebentão”. Pelo visto, Mateus estava se referindo à profecia de ISAÍAS 11:1 que chamou o Messias de “rebentão” de Jessé, o que significa que o Messias seria um descendente de Jessé, pai do Rei Davi. Jesus foi de fato descendente de Jessé por meio de Davi. — Mateus 1:6, 16; Lucas 3:23, 31, 32.

***************************************************************

A respeito de Cristo como Juiz escreveu-se profeticamente em ISAÍAS11:2-4 “Sobre ele terá de pousar o espírito de Jeová, o espírito de sabedoria e de compreensão, o espírito de conselho e de potência, o espírito de conhecimento e do temor de Jeová; e deleitar-se-á no temor de Jeová. E não julgará pelo que meramente parece aos seus olhos, nem repreenderá simplesmente segundo a coisa ouvida pelos seus ouvidos. E terá de julgar com justiça os de condição humilde e terá de dar repreensão com retidão em benefício dos mansos da terra.”

Podemos mostrar para o morador nesta profecia as qualidades que habilitam Cristo a “julgar em justiça a terra habitada”.

***************************************************************

 A respeito de Jesus como Rei messiânico, ISAÍAS 11:2,3, declara: “Sobre ele terá de pousar o espírito de Jeová, o espírito de sabedoria e de compreensão, o espírito de conselho e de potência, o espírito de conhecimento e do temor de Jeová; e deleitar-se-á no temor de Jeová.”Podemos mostrar para o morador  que o temor de Jeová de forma alguma é desagradável. É positivo e construtivo. É uma qualidade que irá permear todo o domínio sobre o qual Cristo governa como Rei.

***************************************************************

ISAÍAS 11:2,3. Por meio das nossas reuniões congregacionais, das assembléias e dos congressos, Jesus, como Cabeça designado da congregação e como o Rei messiânico, ajuda-nos a entender claramente o que é temor piedoso e por que é tão benéfico. Ele se esforça assim a aprofundar nosso apreço pelo temor de Jeová, a fim de que aprendamos a deleitar-nos neste temor, assim como ele se deleita.

***************************************************************

 Uma profecia referente a Jesus Cristo disse que ele ‘se deleitaria no temor de Jeová’ conforme relata ISAÍAS 11:3. Seu temor era essencialmente uma profunda veneração e reverência a Deus, o temor de desagradá-lo porque o amava. Pais e filhos precisam cultivar amor a Deus semelhante ao de Cristo, porque lhes dará deleite assim como deu a Jesus. Precisam dar primazia a Deus na sua vida por obedecer aos Seus mandamentos. Segundo um escritor da Bíblia, “esta é toda a obrigação do homem”. — Eclesiastes 12:13.

***************************************************************

Jesus mostrava o máximo respeito pela lei, especialmente a de seu Deus e Pai, mas também pela lei das “autoridades superiores” permitidas a operar na terra, na forma dos governos seculares. Rejeitou os esforços de projetá-lo no cenário político da época por ‘fazê-lo rei’ por aclamação pública. Não ultrapassou os limites da sua autoridade. Ninguém podia ‘declará-lo culpado de pecado’, não só porque tinha nascido perfeito, mas porque exercia constante cuidado de observar a Palavra de Deus. Podemos mostrar para o morador o amor de Jesus pela justiça que era conjugado com o ódio à iniqüidade, à hipocrisia e à fraude, e com a indignação àqueles que eram gananciosos e insensíveis para com os sofrimentos alheios. Os mansos e humildes podiam animar-se, porque Seu governo eliminaria a injustiça e a opressão de acordo com ISAÍAS 11:4.

***************************************************************

Jeová mencionou as casas de Israel e de Judá como tendo sido semelhantes a um cinto em seus quadris, tão próximas de si mesmo ele as mantinha, a fim de se tornarem para ele um louvor e algo belo. (Je 13:11) Jesus Cristo é representado profeticamente como reinando com a justiça por cinto de seus quadris e a fidelidade por cinto de seus lombos. Isto pode referir-se a que todos os poderes ativos de Jesus Cristo aderem invariavelmente à justiça e à fidelidade. Como um cinto que proporciona apoio, a qualidade moral da justiça fortalece-o para atuar como Juiz designado de Jeová conforme relata ISAÍAS 11:1,5. Podemos mostrar para o morador que o governo de Jesus será de justiça e fidelidade.

***************************************************************

Segurança. A bela descrição feita em ISAÍAS 11:6-9 terá um cumprimento completo até mesmo em sentido literal. Homens, mulheres e crianças estarão seguros, não importa aonde forem na Terra. Nenhuma criatura quer humana, quer animal, representará ameaça. Podemos mostrar para o morador que no novo mundo de justiça se trará paz e segurança pra todos os habitantes da terra.

***************************************************************

Podemos mostrar para o morador que a criação animal não causará dano, nem será uma ameaça para os habitantes do Paraíso restaurado. Deus dotará novamente as criaturas inferiores da medida de temor dos humanos, que talvez tenham perdido. Podemos assim esperar que a encantadora descrição da vida animal, apresentada em ISAÍAS 11:6-9, tenha um cumprimento literal durante o Reinado milenar do “Príncipe da Paz”.

***************************************************************

Felizmente, a Bíblia descreve o tempo em que, sob o Reino de Deus, “a terra há de encher-se do conhecimento de Jeová” conforme o relato deISAÍAS 11:9 Esse conhecimento dará aos humanos obedientes a instrução e o treinamento necessários para administrar bem a Terra.Podemos mostrar para o morador que a influência do Criador Jeová garantirá então que prevaleça a harmonia entre o homem e os animais, recuperando assim na Terra as condições que faziam parte do propósito original de Deus desde o Edem.

***************************************************************

Sob o governo do Reino haverá paz permanente em toda a Terra. Por que se pode ter essa certeza? ISAÍAS 11:9 revela o motivo, dizendo o seguinte sobre os futuros súditos do Reino: “Não [farão] dano, nem [causarão] ruína em todo o meu santo monte; porque a terra há de encher-se do conhecimento de Jeová assim como as águas cobrem o próprio mar.” Por fim, todos os humanos na Terra terão um conhecimento exato sobre Deus e o obedecerão. Podemos perguntar para o morador: Essa perspectiva o anima? Em caso afirmativo, visto que estamos vivendo nos últimos dias, poderemos oferecer um estudo bíblico e falar para ele não adiar sua decisão de adquirir o precioso “conhecimento de Jeová”.

***************************************************************

Numa linguagem alegre, Isaías passa a descrever a extrema alegria do povo de Jeová por causa do cumprimento de sua palavra em ISAÍAS12:1 “Naquele dia você certamente dirá: “Eu te agradeço, ó Jeová, Pois, embora estivesses irado comigo, Tua ira passou, e tu me consolaste.’”Jeová aplicaria uma disciplina severa ao seu povo rebelde. Mas cumpriria o objetivo de restabelecer a relação do povo com ele e restaurar a adoração pura. Jeová reassegurava a salvação aos seus adoradores fiéis. Não é de admirar que expressassem apreço!

***************************************************************

Houve uma transbordante alegria em 537 AEC, quando Israel foi restaurado na sua terra, após o cativeiro na Babilônia. A nação de Jeová podia então declarar, conforme Isaías profetizara em ISAÍAS 12:1-6 “Eis que Deus é minha salvação. Confiarei e não ficarei apavorado; porque Jah Jeová é minha força e meu poder, e ele veio a ser minha salvação.” Quanta exultação! E como expressaria a nação essa alegria? Isaías continua: “E naquele dia certamente direis: ‘Agradecei a Jeová! Invocai o seu nome. Tornai conhecidas entre os povos as suas ações. Fazei menção de que seu nome deve ser sublimado. Entoai melodias a Jeová, porque agiu magnificamente.’” Eles podiam agora ‘gritar de júbilo’, ‘dando a conhecer em toda a terra’ Seus atos poderosos, como fazem hoje os servos libertados de Jeová.

***************************************************************

Os verdadeiros adoradores de Jeová não conseguiriam esconder sua alegria. Isaías prediz em ISAÍAS 12:4,5 “Naquele dia certamente direis:‘Agradecei a Jeová! Invocai o seu nome. Tornai conhecidas entre os povos as suas ações. Fazei menção de que seu nome deve ser sublimado. Entoai melodias a Jeová, porque agiu magnificamente. Isto se deve dar a conhecer em toda a terra.’” Desde 1919, os cristãos ungidos — ajudados posteriormente por seus companheiros das “outras ovelhas” — têm ‘divulgado as excelências daquele que os chamou da escuridão para a sua maravilhosa luz’. Eles compõem a “raça escolhida”, a “nação santa” reservada para esse propósito. (João 10:16; 1 Pedro 2:9)

***************************************************************

Os ungidos declaram que o santo nome de Jeová é sublime e participam em divulgá-lo em toda a Terra. Lideram todos os adoradores de Jeová em alegrar-se com a provisão que ele fez para salvá-los. É exatamente como Isaías exclama em ISAÍAS 12:6 “Grita estridentemente e grita de júbilo, ó moradora de Sião, pois grande no teu meio é o Santo de Israel.” O Santo de Israel é o próprio Jeová Deus.

***************************************************************

Jeová moveu uma ação judicial contra a antiga Babilônia, perene inimiga de Deus e do povo dele. Por ser desnecessariamente cruel com os judeus, por não pretender libertá-los após o exílio de 70 anos e por atribuir a Marduque a vitória sobre o povo de Deus, Babilônia merecia ser sentenciada à execução. (Je 51:36; Is 14:3-6, 17; Da 5:1-4) Esta sobreveio a Babilônia em 539 AEC, quando foi derrotada pelos medos e persas. Visto que o julgamento a ser executado era o de Jeová, podia-se referir a esse período como “o dia de Jeová” conforme o relato de ISAÍAS 13:1,6,9.

***************************************************************

As aparências podem enganar. Isaías diz em ISAÍAS 13:7,8 “Por isso é que todas as mãos ficarão fracas, E o coração de todos os homens derreterá de medo. As pessoas ficam apavoradas. Elas se contorcem e têm dores, Como uma mulher que está dando à luz. Olham aterrorizadas umas para as outras, Com os rostos refletindo angústia.”Quando os exércitos vitoriosos invadissem a cidade, a tranqüilidade de seus moradores seria substituída por uma dor tão repentina e intensa como a de uma mulher que dá à luz. Seus corações se derreteriam de medo. Paralisados, suas mãos se abaixariam, incapazes de defendê-los. Suas faces ficariam “afogueadas” de medo e angústia. Olhariam pasmados uns para os outros, perguntando-se como foi que sua grande cidade caiu.

***************************************************************

Mais tarde, uma escuridão similar nos céus indicava calamidade para a antiga Babilônia. Sobre isso, o profeta de Deus foi inspirado a escrever em ISAÍAS 13:9-11 “Eis que está chegando o próprio dia de Jeová, cruel, tanto com fúria como com ira ardente, para fazer da terra um assombro e para aniquilar nela os pecadores da terra. Pois as próprias estrelas dos céus e suas constelações de Quesil não deixarão brilhar a sua luz; o sol realmente escurecerá na sua saída e a própria lua não deixará resplandecer a sua luz. E certamente farei recair sobre o solo produtivo a sua própria maldade, e sobre os próprios iníquos o erro deles.” Esta profecia cumpriu-se em 539 AEC, quando Babilônia caiu diante dos medos e dos persas. Ela descreve bem o negrume, o desespero, a total falta de luz confortadora para Babilônia, quando ela caiu para sempre da sua posição como principal potência mundial.

***************************************************************

A simbólica Babilônia, a Grande, tem-se revelado a mais presunçosa e amarga inimiga de Deus que há na terra; embriaga os habitantes da terra “com o vinho da fornicação dela” e é responsável pelo “sangue dos profetas, e dos santos, e de todos os que foram mortos na terra”. Por causa disso, ela sofrerá destruição eterna. (Re 17:2, 5; 18:7, 8, 20, 24) Isto está em harmonia com a promessa de Jeová de pôr fim a toda a presunção babilônica conforme o relato de ISAÍAS 13:11 que diz: “Porei fim ao orgulho dos presunçosos E humilharei a arrogância dos tiranos.”

***************************************************************

É Lúcifer um nome que a Bíblia usa para Satanás? O nome Lúcifer ocorre uma vez nas Escrituras e apenas em algumas versões da Bíblia. Por exemplo, a tradução de Antônio Pereira de Figueiredo verte ISAÍAS14:12: “Como caíste do céu, ó Lúcifer, tu que ao ponto do dia parecias tão brilhante?” A palavra hebraica traduzida “Lúcifer” significa “brilhante”. A Septuaginta usa a palavra grega que significa “aquele que traz a alva”. Por isso, algumas traduções vertem o hebraico original por “estrela da manhã” ou “estrela d’alva”. Mas a Vulgata latina de Jerônimo usa “Lúcifer” (portador de luz), e isso explica a ocorrência desse termo em diversas versões da Bíblia. Quem é esse Lúcifer? O termo “brilhante”, ou “Lúcifer”, é encontrado na “expressão proverbial contra o rei de Babilônia” que Isaías mandou profeticamente que os israelitas proferissem. De modo que faz parte duma expressão dirigida à dinastia babilônica. Que o termo “brilhante” é usado para descrever um homem e não uma criatura espiritual é notado adicionalmente na declaração: “No Seol serás precipitado.” Seol é a sepultura comum da humanidade — não um lugar ocupado por Satanás, o Diabo. Além disso, os que vêem Lúcifer levado a essa condição perguntam: “É este o homem que agitava a terra?” É evidente que “Lúcifer” se refere a um humano, não a uma criatura espiritual. — Isaías 14:4, 15, 16.

Anúncios

3 comentários sobre “ENCONTRE JÓIAS ESPIRITUAIS – DESTAQUES DE ISAÍAS 11-16 DA SEMANA DE  19 A 25 DEZEMBRO DE 2016

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s