Atos 5:3,4; Mat. 12:32 e 2 Cor 3:17 – Prova que E S é uma pessoa?

trindadeo212

Atos 5:3,4 Mentiu para o E.S… Mentiu para Deus?;

Mateus 12:32 “quem disser algo contra o E.S. não será perdoado”

2° Cor.3:17 “o Senhor é o Espírito.”

Outro pedaço de “evidência” eclética que alguns trinitários recorrem é a “personalidade” e a “divindade” do Espírito são achados em Atos 5:3,4. Aqui nós vemos um cristão batizado, um que, por consequência, recebeu o espírito santo, vender sua propriedade e dar um pouco do dinheiro da venda aos apóstolos. Vejam bem, este homem não tinha nenhuma obrigação de vender sua terra ou de dar o dinheiro da venda aos apóstolos. Que ele fez isso foi visto com bons olhos. Mas este homem, Ananias, queria mais a reconhecimento do que queria fazer caridade. Então ele deu apenas parte do dinheiro da venda de sua propriedade aos apóstolos. Isto também seria excelente. Mas ele mentiu para os apóstolos, porque ele queria ainda mais reconhecimento, e disse a eles que ele tinha dado todo o dinheiro da venda de sua propriedade!

Então Pedro disse: “Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, e retivesses parte do preço da herdade?…Por que formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus.” – ACRF
A “evidência” aqui é presumida porque Pedro fala primeiro que Ananias mentiu para o E.S. Então ele prossegue e diz que Ananias mentiu a Deus. A suposição sendo, evidentemente, que a mentira só poderia ser direcionada a uma pessoa. Portanto, o E.S ‘tem’ que ser Deus!

Este tipo de argumentação é dolorosamente ridículo, para não dizer pior! Ananias na verdade mentiu diretamente aos apóstolos! Então este tipo de ‘argumentação’ se aplica como mais força aos apóstolos do que ao E.S! Por usar esta ‘evidencia’ poderíamos dizer com igual credibilidade que Pedro está dizendo que os apóstolos são Deus quando ele diz “você não mentiu a homens, mas a Deus”!

Vemos uma ideia similar em Marcos 9:37“Quem recebe uma criança em meu nome me recebe [ então a ‘evidência’ tipo trinitária prova que a criança é Jesus!]; e quem me recebe, não recebe a mim, mas a quem me enviou.”ACR

Então receber a criança é na verdade receber o Filho e o Pai! A criança, então, ‘deve’ ser o Próprio Deus  (pelo padrão de evidência trinitário)! Eu tenho certeza que a verdade sobre este assunto está evidente para todas as pessoas imparciais. Mas, para melhor entendimento, voe pode examinar escrituras textos como o de Mat. 25:40 e Luc.10:16 e compará-los com At.5:4. Também podemos ver um uso similar no resto de At. 5:3,4. Em At.5:3 vemos que Satanás encheu o coração de Ananias para mentir ; o levou a mentir. Mas em At.5:4 nós vemos que o próprio Ananias desenvolveu este desejo no seu coração. Então esse tipo de evidência trinitária ‘revela’ outro ‘mistério’ essencial: Satanás é Ananias! Análise também 1° Tess. 4:2,6,8; 1° Cor.8:12; e Tiago 4:11.

Um dos trinitários favoritos da cristandade São Francisco de Assis, fez uma declaração interessante que deveria ser comparada a declaração de Pedro em At. 5:3,4. São Francisco disse após receber algumas roupas de um amigo: “Nada poderia ser melhor para mim do que isto. Eu as recebo como muito agradecimento pela sua caridade. Você as deu (as roupas) a Deus.” –  p.66, O Mais Rico dos Pobres – A Vida de São Francisco de Assis, Theodore Maynard, 1949.

Não é óbvio que, por se rebelar deliberadamente contra o E.S. (a força motivadora enviada por Deus) mentindo aos apóstolos, Ananias estava também mentindo a Deus?

Outra declaração similar desse conceito está escrito na nota de roda pé de Atos 5:3 numa conceituada publiacação trinitária da RSV, a bíblia de estudo ecumênico, A Nova Bíblia Anotada Oxford, 1977, Oxford University Press (Casa Publicadora da Universidade de Oxford):

“Os apóstolos, ou talvez, a igreja, representa o E.S.” Obviamente, os apóstolos receberam autoridade para representar Deus na terra por meio do poder do E.S. (“no nome do E.S.”), então eles “representavam” não apenas aquele poder que lhes foi autorizado, mas também ao Próprio Deus. Portanto, a tentativa de Ananias de enganar os apóstolos era o mesmo que tentar enganar o E.S e uma tentativa de enganar a Deus.

Então, visto que o E.S. (este poder impessoal/força/direção) vem diretamente (e perfeitamente) do Próprio Deus, então não importa o que alguém faça contra o E.S., isto é sempre equivalente a fazer algo contra o Próprio Deus.

Mateus 12:23/ Lucas 12:10

É por isso que Mateus 12:32 é tão importante para entendermos Deus, Jesus e o E.S. Lá Jesus diz aos seus discípulos, “Aquele que disser algo contra o Filho do Homem [o divino e glorificado Jesus] pode ser perdoado; mas quem disser algo contra o Espírito Santo não será perdoado.”veja também Lucas 12:10.

Agora, se o Filho do Homem fosse, na verdade o Próprio Deus, este texto não faria sentido algum. De fato, a conceituadíssima obra de referência trinitária O Novo Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento admite: “O relato sobre blasfêmia e o Filho do Homem (Mat.12:31 f.; Luc.12:10) é particularmente difícil de entender.” – p.628, Vol.3, Editora Zondervan,1986. Esta é uma poderosa atenuação! Qualquer coisa que dissermos contra o Filho do Homem (se ele é realmente Deus, como os trinitários insistem) teria que ser contra a pessoa do Próprio Deus e teria de ser equivalente (pelo menos) a falar contra o E.S! Mas se Jesus não era o próprio Deus, mas uma pessoa diferente, alguém poderia falar contra ele (por causa de algo que ele disse ou fez, sua aparência etc.) como uma pessoa subordinada a Deus e não estar falando ou blasfemando contra Deus.

Portanto, este relato (e Lucas 12:10) mostra que Jesus não é igual a Deus e explica que é apenas ao Pai (que produz ou envia a força/comunicação/motivação impessoal: o E.S) que não devemos ousar blasfemar. Se esta não é a interpretação adequada, tornaria não apenas o relato da blasfêmia contra Cristo (igualmente “Deus”) ser perdoada sem sentido, mas o Altíssimo e Único Deus Verdadeiro, o Pai, seria completamente ignorado e a pior blasfêmia seria apenas contra o “Deus, Espírito Santo”! Isto seria totalmente inconsistente com a glorificação contínua que Jesus dava somente ao Pai!

2° Coríntios 3:17

Uma coisa nós concordamos com os Trinitários: o Pai não é o Filho.o Filho não é o Pai. Eles são pessoas diferentes. Agora, se o Espírito Santo é uma pessoa, como eles dizem então ele também não é o Pai nem o Filho! Mesmo assim, ocasionalmente encontramos 2° Cor.3:17 sendo usado como evidência de que o E.S é uma pessoa que é Deus: “O Senhor é o Espírito.”

Sabemos que o Senhor Jeová é o Pai e sabemos também que o Senhor Jesus é o Filho. Sendo assim, SE o E.S é uma pessoa, como eles dizem, “ele” não pode ser nem Jeová nem Jesus! É por isso que o conceituado erudito trinitário E. F. Scott (em seu ‘O Espírito no Novo Testamento’) pode entender que “Kurios [“Senhor”] aqui [em 2° Cor 3:17] como sendo Cristo e interpretar Paulo negando a personalidade do E.S.”Figuras de Linguagem no Novo Testamento, A. T. Robertson, Vol. IV, p.223. Também a obra trinitária do O Novo Dicionário Internacional de Teologia Novo Testamento, Editora Zondervan, 1986, nos diz: “É importante compreendermos que para Paulo também o Espírito é um poder divino, cujo impacto sobre ou entrada na nossa vida é discernida pelos seus efeitos.” E “É importante para Paulo que o Espírito é um presente compartilhado; É uma força centrípeta  [não uma pessoa!] que atraindo crentes ao único corpo de Cristo… Eles formam o único corpo de Cristo pela sua participação comum em um Espírito.” Vol.3, pp.701,702.

Portanto para ser ‘um’ com o Espírito resulta em ser um com o Senhor, sendo o Senhor aqui se referindo a Jeová, como eu acredito ou a Jesus como na maioria das interpretações trinitárias. Ter a força ativa de Deus significa figurativamente ter o Senhor.

Não apenas nunca encontramos nenhuma afirmação suficientemente clara da trindade na bíblia inteira, mas em todos os sonhos, visões, etc. onde “vemos” Deus, nunca vemos um Deus trino representado de alguma forma, nem vemos a “pessoa” do E.S. (mesmo que frequentemente vejamos a pessoa espiritual de fato, os anjos e Jesus, em associação com o Deus verdadeiro). Nós quase sempre “vemos” as pessoas espirituais celestes (Deus, Cristo, Anjos) representados em uma forma humana. (E.g., Eze. 1:5,26; Atos 7:55.)

“O nome [‘anjo’] não denota sua natureza, mas seu ofício como mensageiro”p.38. “Quanto a sua natureza, eles são espíritos…sempre que  anjos aparecem a homens é sempre em forma humana.” p.39. E, “Em…2° Cor.3:17; 1° Tim.3:16; 1° Ped.3:18, ele [‘espírito’] indica uma natureza divina.” – p.593, Today’s Dictionary of the Bible, 1982, Editora Bethany House, escrito por conceituados eruditos trinitários.

Então vemos Deus (que é espírito) sempre representado em forma humana e sempre como uma única pessoa, Eze, 1:26. Ezequiel poderia facilmente tê-lo representado como três pessoas ou até com uma pessoa com três faces – compare com Ezequiel 1:10 – mas nenhum escritos bíblico faz isso! (compare Dan. 7:9,13). Nós quase sempre vemos a pessoa espiritual de Jesus ressuscitado na forma humana e sempre como uma única pessoa. Sempre vemos as pessoas espirituais individuais que são mensageiros (anjos) de Deus como pessoas individuais (e , a propósito, sempre com nomes pessoais masculinos, nunca com nomes neutros ou femininos). Mas nunca vemos o E.S. como pessoa (e é frequentemente representado como algo que pode ser distribuído/dividido em várias porções) Atos 2 :3,4.

É mais do que estranho que “vemos” Deus (apenas o Pai, Jeová), vemos Cristo (apenas o Filho, Jesus) com Deus, enviado por Deus, orando a Deus, etc., mas nunca vemos a “pessoa” neutra e sem nome do E.S nos céus com Deus ou com o Filho! Isto não poderia acontecer se a doutrina da trindade fosse verdade. Os escritores inspirados da bíblia simplesmente não poderiam ignorar completamente, como eles fizeram nas Escrituras Sagradas uma pessoa que é Deus!

Não há evidência adequada (quiçá prova) para o conceito do E.S. ser uma pessoa que é Deus!

Isto certamente não deveria ser nenhuma surpresa quando entendemos que todos os escritores da Bíblia consideravam o E.S como uma força impessoal enviada por Deus. Quando alguém rejeita esta força que o Próprio Deus produziu e enviou, então, é claro, ele também está rejeitando o Deus Altíssimo. É por isso que Jesus pode equiparar o Espírito Santo com Deus e, ao mesmo tempo (já que Jesus não é Deus), mostra a superioridade de Deus a ele mesmo: “Quem disser uma palavra contra o Filho do Homem será perdoado; mas, quem falar contra o Espírito Santo não será perdoado” – Mat. 12:32.

Anúncios

Um comentário sobre “Atos 5:3,4; Mat. 12:32 e 2 Cor 3:17 – Prova que E S é uma pessoa?

  1. Lopes says:

    Amei os argumentos. Para ampliar a falsidade de que se trata a trindade posto abaixo outros pontos.Todo aquele que crer na trindade deve saber responder as seguintes questões:

    1. Se a crença na Trindade é tão importante para a nossa salvação, porque é que a palavra “Trindade”, ou
    o seu conceito de três seres num só, não se encontra na Bíblia?

    2. Porque é que os apóstolos e os primeiros cristãos não acreditavam na Trindade? (Se você disser que sim, prove
    isso pelas Escrituras ou por citações dos Pais da Igreja antes de 200 A.D).

    3. Visto que a Trindade era tão contrária à crença religiosa judaica em Deus, porque é que Jesus e os seus
    apóstolos não gastaram tempo suficiente, ensinando e explicando a Trindade, de forma a convencer os
    judeus da sua verdade, assim como fizeram com outros ensinos cristãos?

    4. Se a doutrina da Trindade era uma verdade sólida, porque é que Jesus e os seus discípulos não contrariaram
    o Shema do antigo Testamento: “Ouve ó Israel: Jeová, nosso Deus é um só Jeová”. (Deut. 6:4) Porque é que
    ao invés disso, Jesus citou essa mesma escritura em Marcos 12:29?

    5. Porque é que Deus não disse ao seu povo para não ter nada a ver com as nações pagãs, se essas mesmas
    nações tinham o conceito correto sobre Deus? (o conceito destas nações acerca da trindade como
    conceito de Deus, remonta praticamente a todas as nações dos tempos antigos.

    6. Se Jesus é Deus, quem é o Deus de Deus? Jesus fala do “meu Deus” até mesmo já no céu.
    Porque é que Jesus afirma que tem um Deus, se de fato ele é o Deus?
    (João 20:17; Apocalipse 3:12; 1:6; 1 Pedro 1:3; 2 Cor. 1:3; Efésios 1:17; Salmos 89:26;-
    Marcos 15:34; Col. 1:3; Hebreus 1:9; Salmos 45:7)
    Porque a Bíblia nunca se refere ao Pai referindo-se ao Filho como “meu Deus”, nem o Pai e o Filho
    referindo-se ao espírito santo como “meu Deus”?

    7. Porque que o espírito santo na Trindade, desempenha um papel tão fraco?
    Visto que a versão Almeida diz que Maria ficou grávida pelo espírito santo, isso faria
    do espírito santo o Pai. Então quem é o Pai do Pai?

    8. De quem foi a voz que se ouviu desde os céus quando Jesus foi batizado?

    9. A quem Jesus orava mostrando sua dependência e submissão? A ele próprio?

    10. Se Jesus era Deus, porque Satanás iria perder o seu tempo tentando-o? Será que Deus é vulnerável?

    11. Quem tem a imortalidade? Deus? Jesus morreu (impossível para quem tem a imortalidade) e esteve
    morto por quase 3 dias. Como pode Deus morrer? Quem o ressuscitou? (Hebreus 5:7; Apoc. 2:8)

    12. Com quem Jesus falou quando estava na estaca de tortura, conforme Mateus 27:46:
    “Por volta da nona hora, Jesus exclamou com voz alta…”Deus meu, Deus meu, por que me abandonaste?”

    13. Visto que a doutrina da Trindade afirma que o Pai, o Filho e o Espírito Santo são co-existentes e
    co-iguais; estava Jesus mentindo em João 14:28 quando disse: “O Pai é maior do que eu”?
    Se Jesus quisesse afirmar que ele, como um terço da Trindade, estava naquele momento numa
    posição inferior, porque não afirmou antes que ‘Deus é maior do que eu’? Como poderia Jesus afirmar
    que uma pessoa da Trindade era maior que a outra pessoa da Trindade? Se o Filho era inferior a si
    mesmo enquanto na terra, então onde estava a parte dele que era co-igual e co-existente com o Pai?

    14. Se João 10:30 mostra que Jesus e Deus são a mesma pessoa quando diz: “Eu e o Pai somos um”, explique
    João 17:20-26, “a fim de que sejam um, assim como nós somos um”. Com quem Jesus estava a falar?
    Significa isso que os verdadeiros discípulos de Jesus, são o mesmo que Deus e Jesus e desta forma
    são uma parte da Trindade (Múltipla-entidade)?

    15. Se Jesus era verdadeiramente Deus na terra, como poderia ser um resgate correspondente?
    Isso faria de Jesus um perfeito Deus/homem, enquanto Adão era apenas um homem perfeito.

    16. A quem está o Filho sujeitando-se em 1 Coríntios 15:28?

    17. Será que Mateus 3:11 indica que o espírito santo é uma pessoa? (Água e fogo não são pessoas).

    18. Como poderia o espírito santo ser uma pessoa, quando encheu os cristãos no pentecostes ao mesmo tempo?
    (Atos 2:4) Como você pode ficar cheio de uma pessoa?

    19. Se Jesus era o Deus Todo-Poderoso, porque Jesus não corrigiu Simão Pedro quando perguntou quem
    pensavam que ele era, e Pedro respondeu: “”Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivente.”? (Mateus 16:15-17)

    20. Se Jesus é Deus, explique a escritura em João 1:18, que diz: “Nenhum homem jamais viu a Deus.”

    21. Explique Revelação 1:1, se Jesus era Deus. Se Jesus era parte da divindade, então porque teve de lhe
    ser dada a revelação por outra parte da divindade, Deus? Certamente que ele também a saberia, pois Deus sabia.

    22. Se Jesus é Deus, porque chamá-lo Jesus Cristo? É Cristo seu último nome? Deus é conhecido como Jeová Deus.
    Visto que “Cristo” é apenas um título assim como “Deus” é um título, não deveria ser chamado Jesus Deus?
    Ou será que o título “Cristo” dá-nos entendimento sobre a sua posição em relação ao Pai?

    23. Explique com que estava o apóstolo Paulo preocupado em 2 Coríntios 11:3, 4, Gálatas 1:6-9 e Atos 20:29.
    Será que estava avisando sobre doutrinas tais como a Trindade? A Doutrina da Trindade tem origem pagã.
    Isso é um fato histórico. Não foi aceite pela Congregação Cristã até centenas de anos após a morte dos apóstolos.
    Em 325 E.C, foi um pagão, que assassinou o seu filho, a sua segunda mulher e vários outros familiares, que
    foi responsável por trazer para a Congregação cristã este dogma. A Trindade ensina um Cristo diferente daquele que Paulo ensinou.
    (1 Coríntios 11:3,; 8:5, 6)

    24. Se a tradução correta de João 1:1 é Deus, e não “um deus”, simplesmente porque não existe “um” no texto
    grego antes do substantivo anartro (substantivo sem artigo), então o mesmo é verdade em Atos 28:6.
    Porque é que todas as traduções acrescentam “um” nesta passagem que mostra Paulo como “um deus” em
    vez de Deus, quando o artigo “um” não existe no texto grego? Será porque o contexto indica que essa é a
    tradução mais correta? Leia atentamente o contexto de João 1:1.
    Compare também João 6:70 na versão almeida corrigida e a atualizada.

    25. João 5:19 diz-nos que o “O Filho não pode fazer nem uma única coisa de sua própria iniciativa”. Porque não?

    26. Filipenses 2:9-11 diz-nos que o Filho foi “enaltecido”.
    Quando isto aconteceu e como é isto possível se ele próprio é o Ser Supremo?

    27. Como é que o Filho está sujeito a Deus junto com todas as outras coisas, se o
    Filho é co-igual com o Pai, ou também o Pai está sujeito ao Filho? (1 Cor. 15:27, 28)

    28. Com quem estava Jesus falando, e o nome de quem ele deu a conhecer?
    O seu próprio? (João 17:6, 26)

    29. Porque razão Jesus não podia fazer nada da sua própria iniciativa, se ele era o Deus
    Todo-Poderoso? (João 5:30) Se Jesus era Deus, será que ele não poderia ter enviado a si próprio? (João 6:38)

    30. Quem fez Jesus vir à terra e morrer por nós? Foi sua ideia? Hebreus 2:9 diz: “mas observamos
    a Jesus, que havia sido feito um pouco menor que os anjos, coroado de glória e de honra por ter sofrido
    a morte, para que, pela benignidade imerecida de Deus, provasse a morte por todo [homem]”.
    Foi Deus quem o enviou. Se Jesus era Deus, porquê ainda fazer distinção aqui, como é feito no resto das Escrituras?

    31. Em vista de Hebreus 2:9, poderia Deus em qualquer circunstância ser inferior aos anjos?
    Ele é o Deus Todo-Poderoso para toda a eternidade.

    32. Se Jesus era Deus, como poderia aparecer perante a pessoa ou a presença de si próprio?
    Hebreus 9:24 declara: “Porque Cristo entrou, não num lugar santo feito por mãos, que é uma cópia
    da realidade, mas no próprio céu, para aparecer agora por nós perante a pessoa de Deus”. (presença KJB)
    Note que não diz presença do Pai, mas sim, de Deus.

    33. É possível que o Deus Todo-Poderoso e Criador do universo estivesse confinado por nove meses no ventre de Maria?
    Se assim é, porque Satanás e os demônios não se apossaram dos céus na sua ausência e conquistaram a
    posição de adoração que tanto desejava desde o principio. Deus na barriga duma mulher?

    34. Visto que os anjos são também chamados Filhos de Deus (Gen. 6:2), o que significa Jesus ser o Filho unigênito de Deus?
    (João 1:14; João 3:16; 1 João 4:9) [Jesus foi o único criado diretamente por Deus.
    Todas as outras coisas foram criadas através de Jesus (Dicionário Strong: ( dia ) Uma preposição
    primária significando o instrumento ou o meio pelo qual um ato é realizado.
    Colossenses 1:16-18. Gênesis 1:26 “Façamos o homem à nossa imagem.”
    Jesus foi o Mestre de Obras de seu Pai (Prov. 8:22)

    35. Se Jesus era Deus, desde a eternidade, de tempo indefinido a tempo indefinido, o Alfa e o Ômega, sem
    princípio, etc, como pode ele ser chamado de Primogênito de toda a criação, ou o Princípio da criação? (Col. 1:15; Rev. 3:14)

    36. O que é um filho? Se Jesus era o próprio Deus, porque ele é chamado de Filho de Deus, cerca de 85 vezes no Novo Testamento?
    Está a Bíblia a Bíblia a fazer uma declaração inexata em cada caso? Porque descrevê-lo como Filho de Deus, e
    confundir-nos, se ele era de fato o Deus Todo-Poderoso? Porque não dizer simplesmente que Deus veio à terra, que
    o Altíssimo nasceu de uma virgem, etc? Porque Jesus, vez após vez falou do seu Pai nos céus, se de fato
    ele, Jesus, era o Pai na forma humana, enquanto na terra? Não seria isso inexatidão? (Lucas 1:30-32)

    37. Se Jesus Cristo irá reinar no Reino por mil anos, (Rev. 20:4) quem governará a seguir? 1 Coríntios 15:24 mostra
    que Jesus entregará o reino de volta a seu Deus e Pai. Porque seria isto necessário se eles são o mesmo?
    Significa isto que Jesus devolve o reino a si mesmo?

    38. Marcos 13:32 diz-nos: “Acerca daquele dia e daquela hora ninguém sabe, nem os anjos no céu, nem o Filho, senão
    o Pai” Como poderia o Pai saber alguma coisa e o Filho não, se eles são co-iguais na mesma divindade?
    E se, como alguns argumentam, o Filho estava limitado pela sua natureza humana, porque o espírito santo não saberia?

    39. “A mãe dos filhos de Zebedeu …disse-lhe: “Manda que estes dois filhos meus se assentem, no teu reino, um
    à tua direita e outro à tua esquerda.” Jesus disse: “Bebereis, de fato, o meu copo, mas, assentar-se à minha direita
    e à minha esquerda não é meu para dar, mas pertence àqueles para quem tem sido preparado por meu Pai.”
    (Mateus 20:20-23) Porque Jesus disse estas palavras se ele era Deus? Estava Jesus apenas respondendo
    segundo a sua “natureza humana”? Se, como afirmam os trinitaristas, Jesus era verdadeiro “Deus-homem”, quer
    Deus quer homem, nem apenas um ou outro, seria verdadeiramente consistente a explicação que ele deu?
    Será que Mateus 20:23 não revela antes que o Filho não é igual ao Pai, e que apenas ao
    Pai estão reservadas algumas prerrogativas?

    40. Mateus 26:39 diz: “E, indo um pouco mais adiante, prostrou-se com o rosto [em terra], orando e dizendo:
    “Pai meu, se for possível, deixa que este copo se afaste de mim. Contudo, não como eu quero, mas como tu queres.
    ” Se o Pai e o Filho eram de apenas uma substância co-iguais, não seria esta oração sem sentido?
    Jesus estaria orando a si próprio, e a sua vontade seria necessariamente a vontade do Pai.

    41. Mateus 12:31, 32 diz-nos: “Por esta razão, eu vos digo: Toda sorte de pecado e blasfêmia será
    perdoada aos homens, mas a blasfêmia contra o espírito não será perdoada.
    Por exemplo, quem falar uma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado; mas quem falar
    contra o espírito santo, não lhe será perdoado, não, nem neste sistema de coisas, nem no que há de vir”.
    Visto que os pecados contra o Filho seriam perdoados, mas os pecados contra o espírito santo não, indica
    isto que o espírito santo é de alguma forma maior que o Filho? Isso contrariaria abertamente a Trindade.

    42. A palavra hebraica Shaddai e a palavra grega Pantokrator são ambas traduzidas por “Todo-Poderoso”.
    Ambas as palavras nas suas línguas originais são aplicadas a Jeová, o Pai. (Êxodo 6:3; Rev. 19:6)
    Porque esta expressão nunca é aplicada ao Filho ou ao espírito santo?

    43. Visto que 1 Coríntios 11:3 diz: “Mas, quero que saibais que a cabeça de todo homem é o Cristo; por sua vez, a
    cabeça da mulher é o homem; por sua vez, a cabeça do Cristo é Deus”, não revela isto que Deus está numa
    posição superior a Cristo? Alguns acreditam que é assim apenas enquanto Jesus estava na terra. Mas é de notar
    que isto foi escrito cerca de 55 E.C, alguns 22 anos após Jesus retornar ao céu. Então a verdade aqui aplica-se
    à relação existente entre Deus e Cristo nos céus.

    44. Porque é que Jesus não é o único Deus a quem os cristãos têm de adorar? 1 Coríntios 8:5, 6 diz:
    “Pois, embora haja os que se chamem “deuses”, quer no céu, quer na terra, assim como há muitos “deuses” e
    muitos “senhores”, para nós há realmente um só Deus, o Pai, de quem procedem todas as coisas, e nós para
    ele; e há um só Senhor, Jesus Cristo, por intermédio de quem são todas as coisas, e nós por intermédio dele”.
    Este texto apresenta o Pai como o “único Deus” dos cristãos e como estando numa classe distinta de Jesus Cristo.

    45. Através das escrituras Jesus é apresentado como sendo inferior ao Pai, em várias situações, como em João 14:28
    (“O Pai é maior do que eu”). Visto que estas escrituras são explicadas por dizer que só era assim porque o Filho estava
    limitado pela sua condição humana enquanto na terra, quer dizer que durante 33 anos não houve trindade?
    Significa que por 33 anos o Filho não foi co-igual, co-existente e co-eterno com o seu Pai?

    46. Como se pode usar João 8:58: “Antes de Abraão existir, EU SOU” e ligar à declaração de Jeová em Êxodo 3:14
    ” EU SOU enviou-me a vós”? Fazendo isso faria da declaração de Jesus “EU SOU” um título, um nome, fazendo desta
    frase um frase incorreta, uma sentença incompleta, não fazendo qualquer sentido.
    [Exemplo: Substitua qualquer nome por “EU SOU”: “Antes de Abraão existir, Henrique.” etc]

    47. Porque é Jesus apresentado como “o único mediador entre Deus e o homem”? Visto que por definição um
    mediador é alguém separado daqueles que precisam da mediação, seria uma contradição ele ser uma entidade com
    que uma das partes estava a tentar ser reconciliada. (Ilustração: Quando patrões e sindicatos estão a negociar, um
    mediador do Estado é convidado a mediar a duas partes. Ele é imparcial. Ele não seria justo como mediador, se ele
    fosse quer patrão, quer empregado, pois não? Da mesma forma, Jesus é um mediador entre Deus e os homens.
    Ele não é nem Deus nem homem. Quando se está negociando com uma das partes não se está negociando
    através de um mediador. Como Gálatas 3:20 declara: “Ora, não há mediador onde apenas uma pessoa está
    envolvida, mas Deus é apenas um”.

    48. O que significa Jesus ser chamado de Jesus Cristo? Não é o seu último nome. Cristo significa “ungido”.
    Se Jesus é Deus, como pode ele ser ungido? E por quem? Ungido é receber autoridade ou comissão por um
    superior, a quem não tem essa autoridade. Jesus diz: “”O espírito de Jeová está sobre mim, porque me ungiu
    para declarar boas novas aos pobres.” (Lucas 4:18) Aqui Deus é evidentemente o seu superior, pois ele ungiu
    Jesus e deu-lhe autoridade que ele antes não tinha.

    49. Como Jesus teria que aprender a obediência? Hebreus 5:8 diz-nos que Jesus “aprendeu a obediência pelas
    coisas que sofreu.” Podemos imaginar Deus ter que aprender alguma coisa? Não, mas Jesus tinha, pois ele não
    sabia o mesmo que Deus sabia. E ele teve que aprender aquilo que Deus nunca terá que aprender, OBEDIÊNCIA.
    Deus nunca tem que obedecer a ninguém.

    50. Se Jesus é Deus, porque é que Estêvão viu duas pessoas no céu? Estêvão “fitou os olhos no céu e avistou a
    glória de Deus, e Jesus em pé à direita de Deus.” (Atos 7:55) Claramente viu duas pessoas distintas. Estêvão
    menciona que Jesus está à direita de Deus e não simplesmente à direita do Pai. E se Jesus é parte de uma
    divindade trinitária, porque é que Estêvão não viu também o espírito santo ou três pessoas?

    51. Se alguma das questões anteriores foi respondida com a declaração “É UM MISTÉRIO”, então explique as
    seguintes passagens: 1 Coríntios 2:10; 1 João 5:20; 2 Timóteo 2:7; Efésios 3:5; 1 Pedro 1:12; e Lucas 24:45.

    52. Não existia Deus trino no judaísmo, essa concepção de deus trino é grega-romana, então a trindade não sera um ensinamento pagão?

    53. Filho de humano é humano, filho de ave é ave, Filho de Deus é deus.. Jesus é chamado de deus, por que é filho de Deus.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s