Indagação de um leitor: Nova Jerusalém – Suas dimensões e os materiais usados são simbólicos?

dúvida

Certo leitor escreveu:

“Já tenho informações suficientes que me levam a crer que a Nova Jerusalém é Simbólica, mas quanto às dimensões e os materiais é literal ou simbólico? (Apocalipse 21:10-27)”

Resposta da Bíblia:

Objetivo dessa matéria é responder a indagação sobre as dimensões e os materiais usados na Nova Jerusalém. Caso queira saber o que significa a Nova Jerusalém clique aqui, e será direcionada a matéria.

“Assim, ele me levou no poder do espírito para um monte grande e alto, e me mostrou a cidade santa de Jerusalém descendo do céu, da parte de Deus  e com a glória de Deus. Seu brilho era semelhante ao de uma pedra muito preciosa, como pedra de jaspe cristalina.  Tinha uma muralha grande e alta e tinha 12 portões, e havia 12 anjos junto aos portões, e nos portões estavam escritos os nomes das 12 tribos dos filhos de Israel. Ao leste havia três portões, ao norte havia três portões, ao sul havia três portões e ao oeste havia três portões.  A muralha da cidade também tinha 12 pedras de alicerce, e sobre elas estavam os nomes dos 12 apóstolos do Cordeiro. – Apocalipse 21:10-14

“A muralha da cidade tinha também doze pedras de alicerce, e sobre elas os doze nomes dos doze apóstolos do Cordeiro.” (Apocalipse 21:14) “Muralhas” são símbolo de proteção. (Apocalipse 21:27; 1 Samuel 25:16; Provérbios 25:28) A “grande e alta muralha” da Nova Jerusalém mostra que ela é espiritualmente segura. Nenhum inimigo da justiça, nenhum impuro ou desonesto, jamais conseguirá entrar nela. (Apocalipse 21:27) O “alicerce” representa a base, ou fundamento, sobre o qual é edificada a simbólica “cidade”. (Efésios 2:19-22) ¹

“Aquele que falava comigo segurava um instrumento de medida, uma cana de ouro, para medir a cidade, os seus portões e a sua muralha.  A cidade era quadrada, o seu comprimento era igual à sua largura. Ele mediu a cidade com a cana: 12.000 estádios; o comprimento, a largura e a altura dela eram iguais.  Ele mediu também a sua muralha: 144 côvados, segundo a medida de homem, que ao mesmo tempo é medida de anjo – Apocalipse 21:15,16 “

“A medida usada segundo de homem, que ao mesmo tempo é a medida de anjo” pode ter a ver com o fato de a cidade é ser composta dos 144.000, quais originalmente eram humanos, mas que se tornaram criaturas espirituais entre os anjos.

A cidade um é perfeito cubo de 12.000 estádios² de perímetro, cercada por uma muralha de 144 côvados, ou 64 metros de altura. A muralha de 144 côvados de altura nos lembra que a cidade se compõe de 144.000 filhos adotados espiritualmente (Apocalipse 14:3; Romanos 8:16).

O número 12, que aparece na medida da cidade, de 12.000 estádios — com comprimento, largura e altura iguais — é usado figurativamente em contextos organizacionais nas profecias bíblicas.³ Portanto, a Nova Jerusalém é um arranjo organizacional de projeto sublime para a realização do propósito eterno de Deus. A Nova Jerusalém, junto com o Rei Jesus Cristo, é a organização do Reino de Jeová. Há também o formato da cidade: um perfeito cubo. No templo de Salomão, o Santíssimo, contendo uma representação simbólica da presença de Jeová, era um perfeito cubo. A Bíblia diz:

“  E ele preparou o compartimento interno dentro da casa para ali colocar a Arca do Pacto de Jeová. O compartimento interno tinha 20 côvados de comprimento, 20 côvados de largura e 20 côvados de altura; ele o revestiu de ouro puro, e o altar ele revestiu de cedro.” -1 Reis 6:19, 20.

O compartimento do Santíssimo na tenda de reunião, ou tabernáculo, continha a arca do pacto; a tampa desta Arca, continha dois querubins de ouro que representava o trono de Deus. De modo que se usava o Santíssimo, de forma figurativa, para representar a moradia de Jeová Deus, o próprio céu.4

Santíssimo do Templo dificilmente era bastante grande para conter a presença pessoal de Jeová Deus. A arca do pacto era o objeto sagrado em direção do qual o sumo sacerdote de Deus aspergia o sangue dos sacrifícios expiatórios de pecados, no Dia anual da Expiação. A Arca representava assim o trono de Jeová no céus. Em harmonia com isso, o Santíssimo do templo, onde estava a arca, representava aquela parte dos céus ilimitados em que Deus tem a sua residência sagrada. Lemos em Apocalipse 11:19:

“Então o santuário do templo de Deus no céu foi aberto, e viu-se a Arca do seu pacto no santuário do seu templo. E houve relâmpagos, vozes, trovões, um terremoto e forte granizo”

Quão apropriado é, assim, que a Nova Jerusalém, iluminada pela glória do próprio Jeová, seja vista como perfeito cubo em larga escala! Todas as suas medidas estão em perfeito equilíbrio.  Assim, o fato da Nova Jerusalém se ampla até mesmo maior do que a terra, simboliza uma cidade sem irregularidades ou defeitos. — Apocalipse 21:22.

Mas o que significa os materiais que foram usados para construir essa cidade?

“A muralha era feita de jaspe, e a cidade era de ouro puro, como vidro cristalino.  Os alicerces da muralha da cidade eram feitos de todo tipo de pedras preciosas: o primeiro alicerce era de jaspe; o segundo, de safira; o terceiro, de calcedônia; o quarto, de esmeralda;  o quinto, de sardônica; o sexto, de sárdio; o sétimo, de crisólito; o oitavo, de berilo; o nono, de topázio; o décimo, de crisópraso; o décimo primeiro, de jacinto; o décimo segundo, de ametista.  Também, os 12 portões eram 12 pérolas; cada um dos portões era feito de uma só pérola. E a rua principal da cidade era de ouro puro, como vidro transparente. – Apocalipse 21:18-21”

Nessa construção não é usado materiais comuns como, por exemplo, argila ou pedra, mas lemos sobre Jaspe, ouro puro e todo tipo de pedra preciosa. Isso se trata de uma construção celestial. A antiga arca do pacto estava revestida de ouro puro, e, na Bíblia, esse elemento frequentemente representa coisas boas e valiosas. (Êxodo 25:11; Provérbios 25:11; Isaías 60:6, 17) A inteira Nova Jerusalém, são construídas com “ouro puro, como vidro transparente”, retratando uma beleza e um valor intrínseco, que foge à imaginação.

Jeová é o Refinador Mestre. Ele está assentado “como refinador e purificador de prata”, e ele refina os membros individuais, fiéis, do Israel espiritual “como o ouro e como a prata”, removendo deles todas as impurezas. Somente aqueles que realmente tiverem sido refinados e purificados constituirão finalmente a Nova Jerusalém, e é desse modo que Jeová constrói a cidade com materiais de construção vivos, que brilham com a mais elevada excelência de pureza espiritual. — Malaquias 3:3, 4.

Até mesmo os alicerces da cidade são belos, adornados com 12 pedras preciosas. Isso traz à mente o antigo sumo sacerdote judeu, o qual, em dias cerimoniosos, usava um éfode incrustado de 12 pedras preciosas diferentes, parecidas às descritas aqui. (Êxodo 28:15-21) Isso certamente não é mera coincidência! Antes, enfatiza a função sacerdotal da Nova Jerusalém, de que Jesus, o grande Sumo Sacerdote, é a “lâmpada”. (Apocalipse  20:6; 21:23; Hebreus 8:1) Também, é por meio da Nova Jerusalém que os benefícios do ministério sumo sacerdotal de Jesus são canalizados para a humanidade. (Apocalipse 22:1, 2) Os 12 portões da cidade, cada um deles uma pérola de grande beleza, fazem lembrar a ilustração de Jesus, que comparou o Reino a uma pérola de grande valor. Todos os que entrarem por esses portões terão mostrado verdadeiro apreço por valores espirituais. — Mateus 13:45, 46; compare isso com Jó 28:12, 17, 18.

“As nações andarão pela sua luz, e os reis da terra levarão sua glória a ela.  Seus portões de modo algum se fecharão de dia, pois não haverá noite ali. A glória e a honra das nações serão levadas a ela. – Apocalipse 21:24-26”

 

Quem são essas “nações” que andam por meio da luz da Nova Jerusalém? São pessoas, parte das nações deste mundo iníquo, que reagem favoravelmente à luz lançada por meio dessa gloriosa cidade celestial. As que mais se destacam entre elas são as da grande multidão, que já saíram “de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas”, adorando a Deus dia e noite em associação com os da classe de João. (Apocalipse 7:9, 15)

Então, quem são “os reis da terra” que “lhe trarão a sua glória”? Não são os reis literais da Terra, como grupo, porque eles desaparecem na destruição ao lutarem contra o Reino de Deus no Armagedom. (Apocalipse 16:14, 16; 19:17, 18) “Os reis da terra”, portanto, que trazem sua glória à Nova Jerusalém, devem ser os 144.000, que são ‘comprados dentre toda tribo, e língua, e povo, e nação’, para reinarem com o Cordeiro, Jesus Cristo. (Apocalipse 5:9, 10; 22:5).

1- http://www.oapologistadaverdade.org/2012/05/grande-multidao-qual-e-sua-identidade.html

2- cerca de 2.220 quilômetros; Ezequiel 40:5 um côvado maior¹ por se tratar de um anjo vamos usá-lo. Um estádio romano 185 m² ; 12.000*185 =2.220.000/1000=2.220 Veja TNM 2015 B14-A – 1 Estádio Romano 1/8 milha romana= 185 m.

3- O Livro “Revelação, seu Grandioso Clímax está Próximo” pg 19; Quadro: “Números simbólicos em Revelação” mostra que “12 – Indica uma organização divinamente constituída, quer nos céus, quer na terra. (Apocalipse 7:5-8; 12:1; 21:12, 16; 22:2)”Em outras palavras mencionar 12 mil de cada tribo mostra a origem divina do arranjo organizacional celestial do Reino de Jeová. – Note Apocalipse 21;15-17.

4- Para maiores informações acesse: http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1200003121

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s